É engraçado como determinadas músicas tem o poder de mexer com a gente de forma a nos transportar para outros espaços e outros tempos de forma mágica. Entre os vários estilos e músicas que fazem isso em mim, eu citaria esta velha composição da década de 1970 "Porto Solidão" de Jessé.

Não é algo na letra ou no tempo em que ela foi lançada. É algo mais intenso que ainda não sei explicar. Alguma coisa na forma da melodia que mexe comigo de um jeito estranho. Sinto-me transportada num livro de literatura, como se pudesse viver uma história nova e em outro tempo.

Ouça e permita-se perceber o que esta composição pode fazer por você.


Porto Solidão

Jessé

Se um veleiro
Repousasse
Na palma da minha mão
Sopraria com sentimento
E deixaria seguir sempre
Rumo ao meu coração...
Meu coração
A calma de um mar
Que guarda tamanhos segredos
Diversos naufragados
E sem tempo...
Rimas, de ventos e velas
Vida que vem e que vai
A solidão que fica e entra
Me arremessando
Contra o cais...(2x)
Se um veleiro
Repousasse
Na palma da minha mão
Sopraria com sentimento
E deixaria seguir sempre
Rumo ao meu coração...
Meu coração
A calma de um mar
Que guarda tamanhos segredos
Diversos naufragados
E sem tempo...
Rimas, de ventos e velas
Vida que vem e que vai
A solidão que fica e entra
Me arremessando
Contra o cais...(4x)
Rimaaaaaas!
A solidão que fica e entra
Me arremessando
Contra o cais...