O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), ligado ao Ministério Público do Paraná (MP-PR), recebeu nesta quarta-feira (28) a denúncia de acusação contra os policiais suspeitos de terem agredido moradores de um bairro de Curitiba e cometido crime de tortura e racismo contra uma advogada, além de terem invadido a residência de uma família. 

O caso aconteceu no Bairro Alto, após uma abordagem policial a um motociclista que se recusou a parar para a polícia e teria entrado na casa de uma família no bairro. Um vídeo feito por populares mostra que os policiais, para apreender o suspeito, invadiram a residência. No local, várias pessoas teriam sido agredidas, inclusive uma idosa.

A advogada Andréia Cândida Vitor acusa que alguns dos policiais de a terem humilhado com xingamentos, além de terem proferido palavras racistas e preconceituosas contra ela durante a ação e após a prisão. Ela e outras 11 pessoas foram detidas.

O advogado de Andréia, Elias Mattar Assad, apresentou a acusação ao Gaeco LEIA NA INTEGRA 


FONTE Rodrigo Batista - Redação Bonde