boletim sindijor 
A Gazeta do Povo publicou às 16h44 informações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) que um homem foi preso nesta quinta-feira (18) e confessou às autoridades que matou o jornalista Anderson Leandro da Silva, de 38 anos, que estava desaparecido há oito dias. Segundo matéria da Gazeta, o coordenador do Gaeco, Leonir Batistti, revelou que o crime teve motivação passional, em que o jornalista teria mantido um caso com a mulher do acusado.

Na tarde desta quinta-feira, policiais do Grupo Tigre, da Polícia Civil, estão em diligências com o preso, para localizar o corpo de Anderson Leandro. Ainda segundo as autoridades, o acusado disse ao Gaeco que, assim que soube da traição da mulher, atraiu o jornalista até um local próximo a Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba, e o assassinou. Detalhes sobre como ocorreu o homicídio não foram revelados pelo coordenador do Gaeco. O acusado não teve o nome confirmado.

Amanhã, às 9 horas, acontece a coletiva do Gaeco, junto ao Grupo Tigre, para esclarecimento dos fatos. Local: Rua Brasilino Moura, 818.

Com informações da Gazeta do Povo (Felipe Aníbal e Diego Ribeiro).

Mobilização nas ruas

Hoje pela manhã, na Catedral de Curitiba, movimentos sociais, sindicatos, familiares, amigos e jornalistas foram às ruas cobrar das autoridades mais informações sobre o paradeiro do jornalista. “Cadê Anderson Leandro?” é o apelo da sociedade, movimentou o centro da capital paranaense, que cobra mais agilidade das autoridades responsáveis na resolução deste caso. O ato também passou pelo Calçadão da XV e foi até a Boca Maldita.

Completados oito dias do desaparecimento de Anderson, o Sindijor-PR vê a situação como indício de atentado a liberdade de expressão.  “Se trata de um profissional jornalista e o fato aponta para a possibilidade de um risco direcionado a função que os profissionais podem estar expostos”, diz Guilherme Carvalho, presidente do Sindijor-PR. Leia mais aqui.