Eu ainda lembro do jeito dela, entrando na sala, Arlete era seu nome. Ela não era brava, não era doce, era simplesmente séria. E eu ,tão criança, com uma sede imensa de aprender. Não tinha mais paciência com  meus irmãos me ensinando ,eu queria a escola. E foi ela, minha primeira professora, que me acompanhou até a quarta série, que eu gostaria de olhar em seus olhos hoje e dizer: muito obrigada!

Depois vieram outras. Irene, ah.. essa do Colégio Estadual Angelo Gusso. Não vou esquecer, um dia em que aquela mulher linda, imensa, empoderada, em volta com várias crianças, disse para nós “Você, menina é linda!”. E eu ali, cheia dos meus complexos, extremamente magrela e com meus cabelos crespos, fora do padrão das minhas coleguinhas. Ela disse pra nós, que todos eram lindos. Que era ela a mais linda. Pois era única. E todos nós éramos os mais lindos, pois não existia ninguém igual a gente. Ela me ensinou a ser sempre apaixonada por mim, não me comparar a ninguém. Com uma frase ela matou em mim, qualquer complexo que poderia se desenvolver em mim. Maravilhosa! Irene “muito obrigada”.

Ah, se eu pudesse numerar todos e contar do tamanho do amor que ainda sinto por cada um.  O Otto, da Fundação Cultural de Curitiba, que me mostrou como viver a literatura, me ensinou a tomar café da manhã lendo poesia. Ele me mostrou o caminho para escrever o meu romance.. Ah, ninguém pode morrer sem escrever um livro. E que ele seja um romance, sim. Ah, obrigada professor Otto!

A Elza, querida, linda.. uma das melhores professoras de comunicação do Brasil. Sem dúvida nenhuma uma mestre no que ensina. Respeitada e idolatrada pelos maiores pesquisadores de comunicação do nosso país. Ela orientou minha pesquisa de conclusão de curso, tão desejada por todos os alunos. E graças a ela, recebi uma bonita premiação do Sindicato dos Jornalistas, pois ela me conduziu, ela me ensinou o caminho. Ah, minha amada e idolatrada, Elza”! Muito obrigada!!

Meu querido professor Carlos, ex-coordenador de comunicação da Universidade Positivo, me ensinou a amar o rádio. Em nossas várias conversas, em que eu, curiosa por saber tudo que a bela Universidade Positivo poderia me oferecer, ficava conversando com ele e falando de minhas ideias. Ele que divide comigo o amor pela maior banda de rock do mundo: o Pink Floyd. Obrigada, professor, por me inspirar, tantas vezes.

Ao meu amado professor Fabiano da Universidade Federal do Paraná -UFPR, que me ensinou por meio dos debates sobre macroeconomia, durante os 4 anos que ficamos juntos, que eu precisava falar. Sim, a menina tímida e quietinha da velha infância morria ali e aprendia que num ambiente de escola é preciso falar, é preciso expor opinião. Ele nem sonha que por meio de suas cobranças de participação nos debates, quebrou complexos, medos e receios. E me tirou ali qualquer medo de falar em público. Lembro que a primeira vez que participei de uma coletiva de imprensa, foi nele que pensei, lá na Bienal do Livro, quando me levantei para perguntar. Ah, professor, se não fosse você, eu jamais teria coragem da exposição do julgamento do outro. Foi você, que me ensinou. Obrigada!!!

Ao professor Pio, hoje, atual reitor da Universidade Positivo, que tantas vezes me recebeu em sua sala, sempre sedenta por mais uma entrevista. E ele sempre tão ocupado, mas, sempre tão atencioso, me atendia com todo carinho. Mesmo carinho que me atendeu depois que sai da Universidade Positivo. Ainda devo uma bela entrevista, hein, professor. Mas, em breve vamos conversar novamente. “Muito obrigada, me espelho muito no seu esforço e no seu talento em falar e passar informações de forma tão objetiva. Você é um gênio. Admiro seu trabalho.”
Eu passaria horas falando dos outros. professora Ana, tão alegre, tão maravilhosa, professor Marcelo,  inteligente, intelectual, professor Eloi.. Nossa que saudades das nossas viagens filosóficas maravilhosas!!!

São muitas paixões. E agora estou encantada pelo que provavelmente será meu professor orientador de mestrado. Um gênio, delicado, doce, inteligentíssimo!!! Deus e os orixás queiram que seja ele. Mas, dele eu só vou falar ano que vem.. quero falar todos os detalhes. De quem é esta pessoa mágica.

Mas, ao longo da vida, não é só os nossos mestres que nos inspiram. Ou melhor, é só os nossos mestres. Mas, muitas vezes eles não estão dentro de uma sala de aula, ou numa coordenação de curso.
Há quase um ano conheci uma mulher que é pura paz, ela transborda a sensação de felicidade. Não aquela felicidade efêmera que sabemos que vem num momento e vai embora logo em seguida diante de nossa rotina de problemas. Aquela felicidade de curtir a vida nos seus detalhes tão pequenos e delicados.
O nome dessa mestra da vida é Olinda Guedes. Só quem já teve o prazer de conhecê-la sabe do que estou falando. De quais ensinamentos da vida ela inspira e nos conduz.

Aprendi, por meio das constelações familiares, que ela é mestra em orientação, que minha vida hoje tem um espelho da minha avó paterna, negra, neta de negros escravizados, forte, baiana e linda, dona de uma amor incondicional pelo meu avô, amor este que enfrentou barreiras do preconceito e do "impossível".  Com a Olinda, aprendi prestar reverência aos maiores amores de minha vida: meus pais. Com ela aprendi que tenho que diminuir o tom, silenciar e meditar, diminuir o ritmo.  Ela é uma mestra. Mestra da sabedoria da vida, do caminho da paz, do amor, da serenidade.

Ela nos faz reviver o melhor do nosso tempo de escola. Eu sou uma eterna apaixonada por escola. Desde que pisei em uma, nunca mais abandonei a escola. Seja por projetos sociais, seja estudando, palestras, oficinas, seja o que for. Adoro companhia de professores, adoro ouvir as histórias da Secretaria de Educação,  reclamações e elogios, saber das decisões do MEC.  Este é o meu destino. E o ensinamento da Olinda só tem tornando este caminho mais saboroso.

Olinda Guedes, MUITO obrigada!

E a todos outros mestres da vida, que tem cruzado o meu caminho nos últimos anos e nos últimos meses e esses em muito breve, quero dizer obrigada. Toda minha homenagem neste dia do professor, àqueles que ensinam e se dedicam dentro e fora da escola. 

E você, faça sua homenagem aos seus grandes amores, aos seus grandes mestres!!! Escreva para eles neste dia 15, diga simplesmente "obrigada". Afinal, são eles que constroem, junto conosco a nossa história. E fazem das paginas da nossa vida uma obra mais grandiosa e repleta de significado. 

A todos os professores à nossa reverência.