Adicionar legenda

O Festival de Curitiba abre oficialmente sua programação ao público nesta quarta-feira (28). Na Mostra do Festival de Teatro são cinco espetáculos: Los Pájaros Muertos, Escravas do Amor, De Verdade, Ah! A Humanidade! e Outras Exclamações e O Idiota. 

Los Pájaros Muertos é a principal atração internacional do Festival. Produzido pela companhia espanhola La Veronal, o espetáculo conta a história da vida e obra de Pablo Picasso. A montagem conta com a participação de figurantes e bailarinos curitibanos. O espetáculo terá apresentação única, às 20 horas, no Bebedouro do Largo da Ordem, com entrada franca.

Escravas do Amor, da companhia carioca Os Fodidos e Privilegiados, estreia no Festival e abre as comemorações brasileiras pelos 100 anos de nascimento do dramaturgo Nelson Rodrigues. A peça é uma adaptação do folhetim escrito por Rodrigues, sob o pseudônimo de Suzana Flag, e traz ao palco Sérgio Marone e Juliana Baroni, entre outros. Ambientada na década de 40, narra a misteriosa morte de Ricardo no momento em que ele pede a mão de Malu em noivado. A apresentação desta quarta será às 21 horas, no Guairão.

Ah! A Humanidade! e Outras Exclamações, da Pausa Companhia de Teatro, é composta por cinco peças curtas escritas por Will Eno que apresentam personagens solitários que tentam se comunicar. A peça está em cartaz no Sesc da Esquina, às 21 horas.

De Verdade, de Márcio Abreu, conta a história de uma mulher bonita e inteligente, que tem tudo para ser feliz, mas vive um vazio de seu casamento, apesar de amar seu marido. Esta é mais uma estreia nacional que o Festival traz a Curitiba, com apresentação às 21 horas, no Guairinha.

O Idiota, com texto de Fiódor Dostoievski, está em cartaz no Auditório Horácio Coimbra, do Cietep, e tem seis horas de duração. Um clássico do teatro mundial, publicado em 1869, o texto conta a história do príncipe Michkin, que apesar do título não tem dinheiro. Enquanto viaja, ele conhece Ragôjan, um novo-rico apaixonado por Nastássia Filípovna – que acaba o fascinando também. Apresentação às 19h30.

Gratuitos - A partir desta quarta-feira, o público curitibano terá sempre opções de espetáculos gratuitos dentro do Festival de Curitiba. Confira a programação gratuita do primeiro dia do Festival.

Casa Hoffmann
13 horas = Mundo Etéreo / Mostra Música & Dança (Apus Cia de Dança / SP)
O espetáculo conta, por meio da dança, a história de uma mulher que, ao atravessar os limites entre a vida e a morte, se depara com situações que a fazem reavaliar momentos de sua vida, entregando-se inteiramente às suas emoções.

Auditório Brasílio Itiberê
18 horas = Coreografia dos Porcos / Mostra Novas Linguagens (Grupo Tronco / SP)
Os bastidores de um teatro onde os dois personagens (Ator e Produtor) se percebem não apenas diante de um fracasso de bilheteria, mas, ainda pior, não encontram motivos para continuar a fazer arte. Decidem, então, em pacto secreto, assassinar uma pessoa a cada apresentação, diante dos olhos da plateia, sem concessões.

Memorial de Curitiba
18 horas = De la Murcía ("Caixarola" teatro de caixa ambulante / PR)
Uma carruagem é puxada por uma menina mascarada. É dentro dessa estrutura que o público, um por vez, assiste ao espetáculo de aproximadamente 5 minutos. Com uma dramaturgia ambientada na Espanha do século XVI, a peça retrata o sonho, a liberdade e a arte, e reflete sobre igualdade, força e esperança.

Praça Rui Barbosa
10 horas =  A Mesa (Os Intiquentos Cia de Teatro e Circo/BA)
Baseado no livro "O Concretismo Abstrato do Mundo", de Alexandre Carrara, a peça quebra tabus e paradigmas do mundo moderno, levando ao enfrentamento do comportamento humano. Deboche, ironia, verdades e mentiras num mundo de ilusões, de choques entre o certo e o errado, o alegre e o triste.

Praça Osório
11 horas = As espertezas de Arlequim (Grupo Arte da Comédia / PR)
Pantaleão e Arlequim estão apaixonados pela bela Ricciolina e a esperteza de Arlequim fará com que o velho Pantaleão tenha que ceder à lei da natureza.

13 horas = O Caboclo Zé Vigia (Tirana Cia de Teatro / MG)
Disputa entre Zé Vigia e Zé do Cangaço em busca do amor de Salomé. A abertura para o imaginário, envolvida pelo verso cantado e contado do cordel. Casório, enganos, pactos, paixão doentia, amor verdadeiro e muita diversão se misturam entre música e cena.

Praça Santos Andrade
18 horas = O Bom Quixote - Delírio Urbano (Grupo Ueba Produtos Notáveis / RS)
O espetáculo transpõe a obra de Cervantes para os dias atuais e foi construído a partir de referências da cultura pop e de suas divas e ícones, levantando questões importantes como a superficialidade dos nossos tempos, a massificação, a perda de ideais verdadeiros e a importância real da mídia.

Largo da Ordem / Cavalo Babão
12 horas = “E Toda Vez Que Ele Passa, Vai Levando Qualquer Coisa Minha...” (Delirivm Teatro de Dança / SP)
Um grupo de pessoas traz consigo sonhos, desejos e esperanças em uma estação à espera do trem. Sua história não é conhecida e o espetáculo, sem texto falado, é desenhado por gestos e expressões. Teriam sido as pessoas abandonadas em um vilarejo, ou seriam fantasmas destinados a vagar por essa estação?

16 horas = Florisbela e Seus Dois Pretendentes (Cia. Teatral Ainda sem Nome / SP)
Uma apresentadora amadora farsante se desespera quando seu programa vai de mal a pior e admite que foi contratada para contar uma história da qual não se lembra. Através de um diretor e ponto eletrônico imaginário, ela conta o romance de Florisbela e seus dois pretendentes.